Fundação Espírita André Luiz | ArtigoArtrite reumatóide.porRosali Andrade
logo_feal
feal_mail


Artrite reumatóide. 20/01/2004

Rosali Andrade

Atualmente, muitas pessoas têm se queixado de dores em suas articulações: dói o cotovelo, o joelho, o ombro... E perguntamos: Por que será que tanta dor tem se manifestado nas pessoas?

Ao certo não se sabe, as causas são inúmeras, mas isto vem demonstrar como as pessoas se encontram em desequilíbrio, em desarmonia com as leis do Universo.

Uma dessas manifestações de dores articulares é conhecida como artrite reumatóide. Os sintomas dessa patologia são o edema (inchaço) da articulação acometida, dor e rigidez matinal (dói e fica difícil movimentar pela manhã) e se não cuidada, aparece a deformidade.

Normalmente, as articulações acometidas são afetadas de forma simétrica (os dois joelhos, os dois punhos) e pode se tornar crônico, visto que a rigidez costuma aumentar gradativamente, até um nível de incapacidade, perdendo o movimento da região.

Esta doença é considerada auto-imune, pois as células inflamatórias que invadem a articulação são produzidas pelo próprio sistema imunológico do corpo, que não reconhecem o mal que estão fazendo para si próprio.

Aqueles que estudam o lado emocional da doença, como no livro: A Doença Como Caminho, colocam a existência de um grande sentimento de raiva, controle de outras pessoas e agressividade que não são trabalhadas dentro de si mesmo.

A energia que não é descarregada se acumula e fica estagnada na musculatura dos membros (braços e pernas), nas articulações, e se transforma em inflamação e dor. Lembramos que são sentimentos que guardamos por anos e não uma simples raiva sentida em uma determinada situação.

É uma doença que atinge mais as mulheres entre 30 e 50 anos, mas homens e crianças também podem desenvolvê-la.

O tratamento conservador é feito através de antiinflamatórios e fisioterapia, mas vamos lembrar que esta patologia demonstra um tipo de comportamento que deve ser modificado ou não conseguiremos uma cura efetiva. Exercícios são bem vindos para liberarmos as energias estagnadas, melhorarmos o tônus muscular, e o lado emocional. Os Florais de Bach também ajudam a encontrar o nosso equilíbrio, assim como a acupuntura e a homeopatia.

Não deixemos que as doenças nos consumam, vamos nos modificar, aprendendo com as doenças, o que elas querem nos ensinar.

Rosali Andrade – fisioterapeuta.


Ps.: Os conceitos aqui emitidos não expressam necessariamente a filosofia FEAL, sendo de exclusiva responsabilidade de seus autores.


Outros Artigos


Todos artigos

Fundação Espírita André Luiz
Av. André Luiz, Nº 710 - Picanço - CEP.: 07082-050 - Guarulhos/SP | (11) 2457-7000
Todos os direitos reservados.